quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A frase do ano

“Não sei porque é que se gastaram dois dias na recontagem dos votos para se eleger uma Vereadora… para agora dar nisto!

Um deputado da bancada do PS na última Assembleia Municipal de Óbidos.

36 comentários:

Anónimo disse...

Afinal foi tempo perdido, mal empregado !

Anónimo disse...

Concordo que será a frase do ano e dita por quem foi, como um sentimento de frustração dos colegas de partido, mas não consegue disfarçar um mau estar até do próprio eleitorado.

Agora a gafe do ano foram as considerações do Sr. Presidente Telmo Faria, quando referiu que o Presidente da Junta de Olho Marinho (que esteve ausente) deveria ter-se feito representar para votar favoravelmente o Orçamento…

Anónimo disse...

Maria Goreti, vereadora eleita pelo Partido Socialista na Câmara de Óbidos, tornou-se vereadora independente, depois do partido lhe ter retirado confiança política.

“Fui eleita como independente nas listas do PS. Não me afastei nem aproximei de partido político algum, não alterei as minhas posições e compromissos, continuando profundamente ligada às liberdades adquiridas com a Revolução do 25 de Abril, em especial, a liberdade de expressão, não me deixando vergar por imposições ou pressões, que ao longo deste ano de mandato, têm vindo a ser constantes por parte do PS”, manifesta a autarca.

“Considero que o que esteve e está sempre em causa, é aquilo que é o melhor para o concelho. É essa a linha que me move e é de acordo com esta verdade que tomei e tomarei as minhas decisões políticas”, sustenta.

“Não comungo do princípio que o PS parece defender, do “quem não está comigo está contra mim”, simplesmente porque não posso aceitar o inaceitável ou defender o que não é defensável”, refere.

“A verdade é que não faço fretes políticos”, afirma, esclarecendo que “não tenho qualquer ligação ao PSD, mas tenho uma ligação e compromisso de quatro anos à população do concelho de Óbidos. Não minto a população, nem negocio o meu cargo, como o PS queria que fizesse, fazendo-me uma proposta desonesta. Tudo porque votei a favor um orçamento que, após análise, se me apresentou como fiável e viável para o concelho, enquanto o meu colega se absteve. E o que é a abstenção, senão o voto a favor?”, declara Maria Goreti.

Jornal das Caldas

Anónimo disse...

http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?t=Governo-espanhol-aumenta-salario-minimo-e-pensoes-de-reforma.rtp&article=403049&visual=3&layout=10&tm=6

Anónimo disse...

Segundo diz o povo o psd não vai ganhar as futuras eleições em obidos ,perguntem por aí e vão ver o resultado,muitas pessoas têm medo de falar ,porque têm familias a trabalhar na camara ou empresas municipais .....!

Bairro dos arcos -Obidos

Anónimo disse...

O PSD ainda se vai arrepender de ter comprado a Goreti ...

Anónimo disse...

qualquer um se arrependerá de comprar a Goreti... estava na cara que ia ser assim e assim sempre será-sem princípios e com toda a pinta a não confiar

Anónimo disse...

Sondagem para a CMO nas próximas autárquicas:
- PSD 76%
- PS- 12%
- CDU - 9%
- CDS/PP - 0,6%
Não responde - 2,4%

Anónimo disse...

O PSD com a Goreti não vale 30%.
Este é o resultado do negócio Goreti.

Anónimo disse...

O PSD usa o caso Goreti para desviar as atenções das dívidas aos fornecedores que continuam a aumentar.

Anónimo disse...

A agora vereadora independente Maria Goreti Ferreira (a quem o PS retirou a confiança politica) tornou público, na Assembleia Municipal de 28 de Dezembro, a “proposta desonesta” que o partido lhe fez antes de lhe terem retirado a confiança política.
De acordo com a autarca, o presidente da concelhia socialista de Óbidos, Carlos Timóteo, informou-a da resolução do partido pelo telefone, depois de a ter convocado para uma reunião à qual não pode ir por não se encontrar na região.
E a decisão do PS era esta: “Ou lhe retiramos a confiança politica ou você demite-se, e nós não fazemos queixa à IGAL [Inspecção Geral da Administração Local] dos trabalhos a mais nas escolas. E você sai-se bem desta embrulhada toda”, contou. Maria Goreti garante que nessa altura já tinha a sua decisão tomada, mas pediu algumas horas para decidir. “Aquilo que me deixou boquiaberta foi a proposta que me fizeram”, diz, acrescentando que o que consideram “uma mancha económica para o concelho, e ilegal, passaria a ser legal e a não prejudicar o concelho desde que eu me demitisse”. Na sua opinião, “isto ou é pressão politica ou chantagem, uma das coisas tem que ser, senão as duas”.
Goreti Ferreira, que durante 14 meses foi vereadora independente eleita nas listas do PS, afirma que durante este tempo a sua postura foi a de votar favoravelmente os assuntos que têm a ver com as escolas e o sistema educacional. A também professora justificou assim a sua votação a favor sobre dos trabalhos a mais nos complexos escolares, que “são uma mais valia para o concelho”. O outro vereador do PS, José Machado, votou contra.
A agora vereadora independente diz que não está “colada” ao PSD. Adianta que o PS continua com “essa manobra politica”, mas garante que não teve nenhuma atitude do PSD nesse sentido e afirma que o que tem feito ao longo do mandato é “votar em consciência e no que acreditava ser o melhor para o concelho”.
A autarca considera que está agora mais livre para se debater pelos problemas do concelho e que o vai fazer, dando especial importância aos assuntos relacionados com a educação e a área social, pois foi eleita pelos munícipes para os representar durante esta legislatura.
“Se o PS queria uma pessoa que se moldasse, nunca me deviam ter escolhido a mim, porque tenho três defeitos muito grandes que são: eu penso, sei tomar decisões e sei o que considero melhor para o concelho”, conclui.
O presidente da concelhia socialista de Óbidos, Carlos Timóteo, diz que apenas foi proposto à vereadora demitir-se em vez de lhe ser retirada a confiança politica. Adianta ainda que a alertou sobre os problemas que poderia ter ao votar favoravelmente os trabalhos a mais nos complexos escolares, mas que não lhe foi feita nenhuma outra proposta.
Este responsável adiantou ainda que a concelhia está a analisar os documentos para depois tomar a decisão sobre se irá, ou não, fazer chegar a sua queixa à IGAL.

Anónimo disse...

A senhora mente e muito.

Anónimo disse...

O escarcéu que para aí vai, por esta blogosfeira a fora, só por causa de mais uma Vereadorazinha folclórica!... Não percebo tanta peixeirada por coisa tão pouca. Aliás, percebo, mas hoje sinto-me a transbordar de bonomia. No fundo, boys and girls, tanto noise para quê? Vamos, deixem-se de fitas. Façam lá as pazes e abracem-se em santa confraria, numa amena vernissage oxiúrica.Todos sabemos que, em matéria de virtude, a honestidade do PSD é praticamente tirada a papel químico da honestidade do PS

Anónimo disse...

"EU ERA UM MÍSERO PROFESSOR, MINHA SENHORA" !?


Esta frase que escapa da boca de Cavaco Silva numa entrevista a uma jornalista amiga diz tudo sobre o pensamento político de Cavaco Silva, o seu carácter e o desprezo que nutre por uma importante classe profissional.

Era um mísero professor catedrático que se baldava às aulas na Universidade Nova enquanto as dava na Católica, beneficiando assim de dois ordenados enquanto alguns alunos ficavam sem aulas e prejudicavam a sua licenciatura.

Era um mísero professor catedrático de economia que nada sabia de aplicações de poupanças e desse negócio sabia tanto como um qualquer trolha.

Era um mísero professor que além de vencimento de topo na carreira dos professores ainda acumulava com pensões do governo e do Banco de Portugal.

É um mísero político que tem dos professores uma visão ofensiva para toda a classe e que não hesita em ofender milhares de portugueses só para se armar em ignorante num domínio em que não pode invocar ignorância.

É um mísero político que depois de exercer os mais altos cargos durante mais de quinze anos diz que não é político para não carregar com o estigma de uma classe de políticos corruptos, muitos dos quais foram invenção dele.

É um mísero professor que tem uma luxuosa casa de férias no Algarve.

É um mísero professor que não tem a mais pequena consideração pelos professores deste país, não hesitando em promovê-los a ignorantes para invocar ignorância economia, ele que foi doutorado em York, professor universitário, técnico do Banco de Portugal, primeiro-ministro e Presidente da República.

É um mísero político que para conquistar a Presidência da República exibe os seus conhecimentos de economia e na hora de esconder a forma como obteve dinheiro fácil disfarça-se de mísero professor que nada sabe de acções.

É e vai ser se os portugueses o escolherem um mísero Presidente da República.

Anónimo disse...

A notícia da primeira página do SOL caiu que nem uma bomba, ainda os últimos jornais estavam a chegar às bancas e já se preparava uma segunda edição com mais pormenores, soube-se que José Sócrates e mais alguns membros e ex-membros do governo socialista tinham adquirido vivendas de luxo numa urbanização algarvia, a quinta das roseiras. As suspeitas adensam-se quando se sabe que o negócio foi feito através de uma off-shore pertencente a um ajunto de José Sócrates, amigo de confiança e homem da máxima de confiança do primeiro-ministro.

Os jornalistas dos jornais da concorrência empenham-se agora na investigação de todo o património imobiliário de José Sócrates, incluindo o dos seus familiares. O líder sindical do Ministério Público já tomou posição pública defendendo que havendo suspeita de enriquecimento ilícito e fraude fiscal deve haver lugar a uma investigação levada até às últimas consequências, apelando ao Presidente da República que exija do Procurador-Geral da República que disponibilize todos os meios necessários à investigação.

Quando o Público divulga a informação de que José Sócrates terá ganho mais de 100 mil euros num negócio de acções fora da bolsa, com acções compradas a preço de favor que depois foram compradas por um banco de amigos que entretanto faliu devido a sucessivas fraudes o país indignou-se. Pedro Passos Coelho convocou a comunicação social para exigir a José Sócrates que esclareça de forma cabal todos os seus negócios, ameaçando que se não o fizer apresentará uma moção de censura.

Respondendo aos jornalistas durante uma visita à Feira Nacional da Agricultura o Presidente da República desdramatizou a situação, assegurando que usaria dos seus poderes para evitar uma crise política, desafiando os portugueses a confiarem na justiça, acrescentando que espera que tudo seja esclarecido. Questionado sobre se confiava na honestidade do primeiro-ministro respondeu que cabe à justiça esclarecer essa questão e que não cabe ao Presidente a emissão de certidões de honestidade.

Confrontado com os pedidos dos jornalistas para que esclareça os seus negócios José Sócrates convocou uma conferência de imprensa onde em vez de esclarecer as dúvidas optou por afirmar a sua inocência. Assegurou que pagouy todos os impostos e que se alguém o pretendesse confirmar que fosse consultar o seu site, assegurando que já lá tinha explicado tudo, acrescentando que para serem mais honestos do que ele teriam de nascer três vezes. Questionado sobre quando fez a escritura respondeu que tem uma memória muito complicada, ainda se lembrava do sermão do padre de uma das muitas missas semanais e ocasionais em que esteve presente há cinco anos, mas não tinha a mais pequena ideia de onde se fez a escritura, que não se lembra de onde comprou a casa e só tinha uma leve ideia de quem a comprou. Para encerrar o assunto lembrou que não passa de um mísero engenheiro que nada percebe de negócios de casas e ainda por cima com termos técnicos em inglês.

O Bloco de Esquerda não perdeu tempo e informou em comunicado que vai propor a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito para aferir se o primeiro-ministro usou dinheiro seu no negócio de acções ou se o mesmo banco que as vendeu a preço de favor também adiantou o dinheiro, tendo o primeiro-ministro limitado a sua intervenção a indicar o NIB da conta para onde deveriam ter sido transferidos os lucros fáceis. O PSD decidiu, entretanto, aprovar a comissão se esta também se debruçar a eventual fraude fiscal no recurso à off-shore de um amigo para comprar a vivenda no Algarve.

Na Quadratura do Círculo o filósofo Pacheco Pereira defendeu que mais do que qualquer outra acusação ao primeiro-ministro, a confirmarem-se estas afirmações são a prova da falta de carácter de José Sócrates. Na SIC a jornalista Manuela Moura Guedes antecipou programa noticioso que estava a preparar indo já hoje a versão Balsemão do Jornal da Sexta.

PS: É quase tudo mentira mas se fosse tudo verdade isto ia ser um grande regabofe!

Anónimo disse...

Naqueles longínquos anos 80 o Prof. Aníbal Cavaco Silva era docente na Universidade Nova de Lisboa. Mas o prestígio académico e político que entretanto granjeara (recorde-se que havia já sido ministro das Finanças do 1º Governo da A.D.) cedo levaram a que fosse igualmente convidado para dar aulas na Universidade Católica.
Ora, embora esta acumulação de funções muito certamente nunca lhe tivesse suscitado dúvidas ou sequer provocado quaisquer enganos, o que é facto é que, pelos vistos, ela se revelou excessivamente onerosa para o Prof. Cavaco Silva.
Como é natural, as faltas às aulas - obviamente às aulas da Universidade Nova - começaram a suceder-se a um ritmo cada vez mais intolerável para os órgãos directivos da Universidade.
A tal ponto que não restou outra alternativa ao Reitor da Universidade Nova, na ocasião o Prof. Alfredo de Sousa, que não instaurar ao Prof. Aníbal Cavaco Silva um processo disciplinar conducente ao seu despedimento por acumulação de faltas injustificadas.
Instruído o processo disciplinar na Universidade Nova, foi o mesmo devidamente encaminhado para o Ministério da Educação a quem, como é bom de ver, competia uma decisão definitiva sobre o assunto.
Na ocasião era ministro da Educação o Prof. João de Deus Pinheiro. Ora, o que é facto é que o processo disciplinar instaurado ao Prof. Aníbal Cavaco Silva, e que conduziria provavelmente ao seu despedimento do cargo de docente da Universidade Nova, foi andando aos tropeções, de serviço em serviço e de corredor em corredor, pelos confins do Ministério da Educação.
Até que, ninguém sabe bem como nem porquê... desapareceu sem deixar rasto... E até ao dia de hoje nunca mais apareceu.
Dos intervenientes desta história, com um final comprovadamente tão feliz, sabe-se que entretanto o Prof. Cavaco Silva foi nomeado Primeiro-ministro E sabe-se também que o Prof. João de Deus Pinheiro veio mais tarde a ser nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros de um dos Governos do Prof. Cavaco Silva, sem que tivesse constituído impedimento a tal nomeação o seu anterior desempenho, tido geralmente como medíocre, à frente do Ministério da Educação.
Do mesmo modo, o seu desempenho como ministro dos Negócios Estrangeiros, pejado de erros e sucessivas "gaffes", a tal ponto de ser ultrapassado em competência e protagonismo por um dos seus jovens secretários de Estado, de nome José Manuel Durão Barroso, não constituiu impedimento para que o Primeiro-ministro Aníbal Cavaco Silva viesse mais tarde a guindar João de Deus Pinheiro para o cargo de Comissário Europeu.
De qualquer modo, e como é bom de ver, também não foi o desempenho do Prof. João de Deus Pinheiro como Comissário Europeu, sempre pejado de incidentes e críticas, e de quem se dizia que andava por Bruxelas a jogar golfe e pouco mais, que impediu mais tarde o Primeiro-ministro Cavaco Silva de o reconduzir no cargo.

A amizade é, de facto, uma coisa muito bonita...

Anónimo disse...

O POLVO VOLTA A ATACAR ........! ?
OU SERÁ PURA COINCIDENCIA ???

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=242217

Anónimo disse...

«Quem quer bolota, trepa». Ou, como diziam antigamente as pessoas iletradas: «quem quer boletra atripa».

Este aforismo popular quer significar que, para se obter algo, urge trabalhar arduamente, como fazem os esquilos subindo e descendo as árvores na colheita de frutos de casca dura (bolotas, castanhas, nozes, avelãs, pinhões, amêndoas e outras) de que tanto gosta. E quer também dizer que é preciso, para se conseguir o sucesso sonhado, “suar as estopinhas” afim de ser obtida a nossa melhor valorização como pessoas.

Em tempos que o 25 de Abril de 1974 acabou, essa benesse era atingida, através dos favores de gente influente no Poder. Porém, ao que se vê e facilmente se entende, nos dias que correm, estamos, de novo, a chafurdar no “mundo da cunha” e do “compadrio” descarado e soez.

Trabalhar, lutar, estudar, ser honesto não é, agora, importante, nem necessário, basta ter (ou conhecer) alguém num lugar-chave da banca, da governação e/ou de qualquer outra coisa, para se alcançar o lucro e a realização de nossos objectivos. E mesmo que descubram e nos queiram destronar, é só arengar uma qualquer desculpa esfarrapada e, sem escrúpulos, ir em frente, descarada e desenvergonhadamente, para que a vitória seja nossa.

Pobre Mundo e pobre Vida esta!.. Tanta burrice, ò Deus! Afinal, temos o que merecemos!...

Anónimo disse...

São inúmeros - pandilha buliçosa e agenciadeira, onde se destacam alguns mamíferos mais empanturrados. Mas nas suas contas off-shore e off-record, ninguém duvide, repousa e procria vultuosa percentagem dos fundos europeus derramados durante os últimos anos neste país. Coados e abarbatados pelas mais diversas vias e manigâncias, sobretudo através de comissões, luvas e esquemas de formação, subsídio e fomento, amontoam-se a levedar píncaros astronómicos. Não sei se equivalem ao grosso da tal Dívida Soberana, não sei se o ultrapassam ou perseguem. Sei apenas que a Procuradoria Geral da República, se alguma república houvesse e alguma justiça a habitasse, devia literalmente engavetar a generalidade dos corpos responsáveis do PS e PSD, nestas últimas décadas, e espremê-los, o mais brutalmente possível, até ao último tostão da dívida. Poupava-se a recessão de quase todos, a miséria de milhões e cumprir-se-ia, na perfeição e na realidade, um dos desígnios tão ao gosto de certas retóricas meramente verbosas: o do consumidor/pagador. Eles que consumiram. eles que paguem!

Anónimo disse...

O Chefe de Estado foi eleito por 2.228.083 votos de 9.622.306 inscritos, pouco mais que um quinto dos portugueses. Reflecte a importância que os cidadãos atribuem ao cargo de presidente da república: um assunto de somenos importância. Tirem-se as ilações e concentremo-nos agora em coisas sérias.

Anónimo disse...

A sondagem feita à boca das urnas que acertou no resultado das presidenciais não dava maioria absoluta ao PSD nem mesmo somado ao CDS. Por isso, o Passos Coelho falou tão mansinho na noite das eleições.

Anónimo disse...

peço ao dono deste espaço ,que o limpe do virus ,porque cada ves que se entra aqui é um problema !

OBRIGADO

Anónimo disse...

A ESQUERDA ESTA A SUBIR EM PORTUGAL .

http://www.youtube.com/watch?v=zHaj3Pgx69c&feature=related

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=iLiCZCYon68

Anónimo disse...

A VILA DE OBIDOS ,ESTÁ QUASE SEM HABITANTES !

BAIRRO DOS ARCOS -OBIDOS

Anónimo disse...

http://economico.sapo.pt/noticias/psd-tarda-em-apresentar-uma-verdadeira-alternativa_112598.html

Anónimo disse...

http://www.ionline.pt/conteudo/117939-turismo-acabaram-se-as-pensoes-as-estalagens-e-as-albergarias

Anónimo disse...

ANEDOTAS DA CAIXA DO EMAIL

Um casal conheceu-se numa festa e foi parar a um motel.

No dia seguinte, entre olhares apaixonados, o homem disse:
- Pela maneira como tocavas o meu cabelo, deves ser cabeleireira.
A garota respondeu:
- E sou mesmo!!!!...
- E eu acho que tu és do PPD/PSD!!!
O homem ficou de boca aberta, verdadeiramente abismado.
Quis saber como é que ela tinha adivinhado tão facilmente a sua filiação partidária.
A explicação veio rápida:
- É muito simples!
-Quando estavas por baixo, gritavas muito...
E, quando estavas por cima...
...tudo atrapalhava, não sabias fazer nada...

Anónimo disse...

http://www.ionline.pt/conteudo/118649-barometro-ps--frente-do-psd

Anónimo disse...

Então, perdeu o pio de vez?

Ou vendeu a sua independência?

Se este espaço ganhou notoriedade não foi exclusivamente pelos comentários anónimos.

Decida-se!

Virella

Anónimo disse...

O virella anda obcecado ,pela palavra anonimo ,até já chateia possa ......!!!!!!!!!!!!!!!!

Albert Virella disse...

Senhor ANÓNIMO

Certamente que tem razão. Quem sou eu para o desmentir' Embora entendo que os obcecados são todos os que ainda não captaram que o escrever sem dar a cara corresponde as tais "vozes que não chegam ao céu"

Só no tempo da Inquisição e com os Doges em Veneza é que os anónimos tiveram crédito. E foi tão bom, não foi? Quantosforam"ajustiçados" indevidamente, sendo inocentes, para satisfazer a invejosos?

Factos são factos e nada os altera.

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=uFP9ihHDx6s

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=2cKWB7lSsSU&feature=related

Anónimo disse...

A escrever para o boneco ....2 x 1 depois 2x0 e acabou o espaço, é mais um ...igual ao outro 0x0 .

Anónimo disse...

O homem passou-se dos neuronios ou quer deitar os fuguetes e fazer a festa eh eh ...já agora que apanhe as canas !.

Pois é mais um que acaba ,e é pena .