terça-feira, 25 de outubro de 2011

Óbidos e mais umas tantas

Sem terem somado um euro à dívida, um terço dos municípios do país ficam por via administrativa em situação de endividamento excessivo.

Sem terem aumentado a dívida pública, de repente 103 autarquias com as contas em ordem ficaram em incumprimento. Significa que em 2012 terão de pagar facturas adicionais, com que não contavam.

Culpa é do novo Orçamento

Para o fazerem, esses municípios terão de subtrair a verba a outros fins. E caso o não façam, o poder central cortará no ano seguinte a transferência de montante equivalente.

As Câmaras agora no vermelho juntam-se às 76 que já estavam acima dos limites de endividamento - e por lá vão continuar, mas com mais encargos por liquidar.

Tudo acontece por causa do Orçamento do Estado para o próximo ano, que fixa novo limite ao endividamento das autarquias: passou de 125% do montante de um conjunto de receitas (entre elas impostos municipais e transferências do Fundo de Equilíbrio Financeiro) para 62,5% desse total.

Municípios em endividamento excessivo por causa do OE de 2012

Albufeira, Alcochete, Aljustrel, Almeida, Alvaiázere, Amares, Angra do Heroísmo, Arcos de Valdevez, Arganil, Arraiolos, Arruda dos Vinhos, Avis, Azambuja, Barcelos, Barrancos, Barreiro, Beja, Bombarral, Cabeceiras de Basto, Câmara de Lobos, Caminha, Cantanhede, Carrazeda de Ansiães, Castro Daire, Chamusca, Chaves, Entroncamento, Estarreja, Estremoz, Évora, Ferreira do Alentejo, Ferreira do Zêzere, Funchal, Golegã, Gondomar, Gouveia, Grândola, Guarda, Horta, Lagos, Lisboa, Lousã, Madalena, Maia, Manteigas, Mértola, Mira, Miranda do Corvo, Moita, Monção, Monforte, Nisa, Óbidos, Odivelas, Olhão, Oliveira de Frades, Oliveira do Bairro, Ourém, Palmela, Paredes de Coura, Penafiel, Penela, Peniche, Peso da Régua, Pinhel, Ponta do Sol, Ponte da Barca, Porto de Mós, Porto Moniz, Póvoa de Lanhoso, Póvoa de Varzim, Ribeira de Pena, Rio Maior, Sabugal, Santa Maria da Feira, Santa Marta de Penaguião, Santarém, Santiago do Cacém, São João da Pesqueira, São Pedro do Sul, Santiago do Cacém, Serpa, Sertã, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sobral de Monte Agraço, Soure, Sousel, Tomar, Valença, Valpaços, Velas, Vidigueira, Vila de Rei, Vila do Bispo, Vila do Conde, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Paiva, Vila Praia da Vitória, Vila Real de Santo António, Vila Verde e Vila Viçosa.

Municípios com endividamento excessivo agravado pelo OE de 2012

Alandroal, Alcanena, Alenquer, Alfândega da Fé, Alijó, Alpiarça, Ansião, Aveiro, Borba, Calheta (Açores), Castanheira de Pera, Castelo de Paiva, Celorico da Beira, Celorico de Basto, Espinho, Faro, Figueira da Foz, Figueiró dos Vinhos, Fornos de Algodres, Freixo de Espada à Cinta, Fundão, Ílhavo, Lagoa (Açores), Lajes do Pico, Lamego, Loulé, Lourinhã, Macedo de Cavaleiros, Machico, Mangualde, Marco de Canaveses, Meda, Melgaço, Mesão Frio, Miranda do Douro, Mirandela, Moimenta da Beira, Mondim de Basto, Montemor-o-Velho, Mourão, Murça, Nazaré, Nelas, Nordeste, Oliveira de Azeméis, Ourique, Paços de Ferreira, Penamacor, Portalegre, Povoação, Reguengos de Monsaraz, Ribeira Grande, Santa Comba Dão, Santa Cruz, Santana, São Roque do Pico, Sardoal, Seia, Sines, Tábua, Tabuaço, Tarouca, Torres Novas, Torres Vedras, Trancoso, Trofa, Vagos, Vale de Cambra, Valongo, Vendas Novas, Vila Franca do Campo, Vila Nova da Barquinha, Vila Nova de Poiares, Vizela e Vouzela.

Fonte

10 comentários:

Anónimo disse...

Chega de gastar dinheiro com “obras” só para justificar a entrada de fundos comunitários. As câmaras municipais deviam ter uma gestão rigorosa e séria para evitar que os munícipes fossem confrontados com aumentos de impostos decretados pelos governos -quanto mais as câmaras se endividam, mais o poder central nos carrega com os ditos - além de impostos cobrados localmente, como o IMI. Já falam na reavaliação de todos os imóveis e não é difícil adivinhar o que vai na cabecinha dos "políticos".

Anónimo disse...

Quem não tem graveto não tem vícios. Que vivam com o que extorquem ao munícipe, reduzam vencimentos e mordomias e se não der que fechem a Câmara ou que a entreguem ao vizinho do lado.

Anónimo disse...

http://www.facebook.com/photo.php?v=10150346753290735

Anónimo disse...

IVA 23%

Diz o Sr Ministro das Finanças que o aumento da taxa do IVA para 23%
> na factura do gás e electricidade, é o que se pratica na maioria dos
> países europeus.
>
> Então comparemos:
>
> SALÁRIOS MÍNIMOS NA EUROPA:
>
> Suíça - 2.916 €
>
> Luxemburgo - 1.757,56 €
>
> Irlanda - 1.653 €
>
> Bélgica - 1.415,24 €
>
> Holanda - 1.400 €
>
> França - 1.377,70 €
>
> Reino Unido - 1.035 €
>
> Espanha - 748,30 €
>
> Portugal - 485 €.........Que comparação É ESTA?????? SE ÉS PORTUGUÊS REENCAMINHA
>
>
>
> Porque, o senhor ministro demonstra que ignora, convem que qualquer
> outro iluminado lhe diga, por exemplo que uma botija de gaz em Espanha
> custa menos 10€ do que aqui no "burgo" ou cada litro de gasolina 95 é
> mais barata lá do que aqui cerca de 20 centimos. Ou ainda isto, nos
> supermercados do LIDL houve há cerca de 20 dias uma promoção,
> simultaneamente em Portugal e em Espanha dum produto que cá era
> vendido por 9,99€ e lá 6,99€ não havendo qualquer diferença nem na
> embalagem. E as frutas? e os produtos de higiéne? e os produtos de 1ª
> necessidade, o peixe, a carne, etc. etc..
>
> Mas isto só os nossos (des)governantes não veem.
>
> Eles mesmos não querem que nós vejamos.
>
> Obscurantismo é o que lhes dá um jeitão.
> AS ATITUDES QUE TOMAMOS
> FAZEM O PAÍS QUE QUEREMOS
EXISTE A NECESSIDADE DE NOS REBELARMOS E DAR CABO DESTES PROXENETAS

Anónimo disse...

http://verdadeirolapisazul.blogspot.com/

Anónimo disse...

Pelo acordo estabelecido com a "troika", o Estado português comprometeu-se a alienar participações detidas em empresas, por forma a reduzir o seu peso na economia.

Pelas regras do financiamento europeu a entidades bancárias portuguesas que eventualmente necessitem de recapitalização, o Estado português pode vir a ter de assumir o papel de accionista desses bancos. O que é que determina isso? Ora essa! O acordo com a "troika"...

Anónimo disse...

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=517189&pn=1

Anónimo disse...

A ser verdade que se mantém o actual volume de endividamento das Autarquias é de facto uma vergonha. Então grande parte do devidamente que o País tem não sãos dividas das Câmaras e das Regiões autónomas ?

Anónimo disse...

Significado de P.O.R.T.U.G.A.L.


P País O Onde R Roubar, T Tirar, U Usurpar, G Gamar e A Aldrabar é L Legal !!!

Albert Virella disse...

Mais uma vez este governo, tão decido a arrumar a nação, mijou as calças e recuou quando o Ruas os pós encima da nesa, com argumentos falaciosos que só pretendiam protejer os compadrios existentes na Câmaras (todas) deste belo Portugal.

Para nosso desconsolo, os sacrifícios caem sobre aqueles que não tem padrinhos. VIVAM OS BAPTISMOS, mesmo, ou mais especialmente, aqueles que não são consagrados no templo católico, mas sim no templo maçónico.

Passem bem e não deixem de contribuir para a estátua equestre do incólume caudilho deste comcelho.

Se tiverem que aguardar a que morra de velho e podre na cama de um hospital, como o Franco, que milhões lhe desejavam um morte macaca, dou o conselho, a quem aínda não cumpriu este preceito, ir beijar a mão do príncipe nos Paços do Concelho. Pode suceder que, não estando a mão disponível exista outra parcela da anatomia pronta a ser osculada.

Um aviso: recordem que a mão esquerda dos nossos antepassados muçulmanos era um mão interdita, pois estava reservada à lipeza do anus depois de defecar.