segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Restos de Natal...

«Compras através do Multibanco atingiram 2200 milhões de euros em Dezembro»
«Até dia 25 os portugueses fizeram 28,6 milhões de levantamentos no Multibanco»
«Envio de SMS no Natal bate novo recorde, com quase mil milhões de mensagens trocadas»
«Desde o início de Dezembro foram realizados, através do Multibanco, 6,8 milhões de euros em carregamentos de telemóveis.» Fonte
Qual terá sido o contributo da “Vila Natal Bes”? O movimento nas poucas “caixinhas de sonho” também foi um sucesso pela certa. Filas e filas, as pessoas a acotovelarem-se... quase que não conseguiam mexer os braços para retirarem o cartão do bolso… e este movimento relacionou-se apenas com o evento!
O Natal cada vez é mais esquecido pelo que representa; cada vez representa mais a época alta de facturação.
Se estivermos atentos, são os grandes grupos que fomentam o espírito consumista do Natal, com total desprezo para a sua essência: a Humildade.
Senão vejamos:
Por trás de cada ponto de venda de objectos de consumo, existem os bancos e financeiras, que por via de agressivas campanhas incitam o outrora pessoa e agora consumidor a obter crédito.
Seja na forma de plafon do cartão, ou de um crédito, o dito consumidor sabe que pode gastar – então toca a gastar.
Os grandes espaços fomentam a apetência ao consumo com mega-campanhas.
As pessoas compram sofregamente qualquer coisa que esteja em promoção naquele momento, mesmo que não precisem. Ao supérfulo adquirido, associemos o descontrole alimentar desta quadra, o empobrecimento do consumidor e, porque não, o lixo que este vai produzir.
Actualmente, reduzimos o Natal a uma corrida louca por presentes, muitos deles desnecessários e inúteis.
Milhões de pessoas no mundo todo passam fome, milhões de crianças não tem onde brincar porque a sua região está assolada por uma guerra e mais de dois biliões de pessoas sobrevivem com menos de dois dólares por dia... e todos nós continuamos a delirar com flocozinhos de neve artificial amiga do ambiente...
Estimular o consumo consciente e racional deveria ser uma política de educação nas escolas deste país, acompanhado pela sociedade em geral e em particular pelas famílias.

1 comentário:

parvus disse...

Obrigada 2510 Óbidos, ou Obidos em 2510. Por este andar só mesmo em 2510 é que se consegue evoluir. Se calhar nessa altura comem rabanadas na Lapónia e o Pai Natal é metrosexual