sábado, 8 de dezembro de 2007

Já estou atrasado...

Óbidos pintou-se de branco para receber o Pai Natal. Um manto de neve cobre a cerca, transformada em aldeia, as árvores e as ruas. Está um frio de bater o dente, quase como na Lapónia, a verdadeira terra do Pai Natal. Mas, na vila medieval, a temperatura vai subir, a partir de hoje. A azáfama é notória. Nem os duendes escapam ao frenesim dos preparativos da "Vila Natal".

Preços entre 3 e 5 euros
Para erguer esta aldeia de Natal foram necessários mais de dois mil metros quadrados de neve artificial e 139 mil leds (pequenas lâmpadas). Figurantes e figurinos serão 99, para além das 169 pessoas que trabalham diariamente para que todos os espaços e animações estejam devidamente funcionais. Os espectáculos, como os contos de Natal e os coros, ocupam mais de 700 elementos. Quanto às entradas, a partir dos 7 e até aos 11 anos, as crianças pagam três euros. O bilhete para adulto custa cinco euros, mas inclui uma ficha que dará acesso à pista de ski. Por mais três euros, terá direito a cinco fichas, que permitirão a entrada na pista de gelo e na rampa. Sobra ainda uma ficha que pode ser trocada por uma viagem de pónei (só para crianças). Informações em http://www.obidosvilanatal.pt/
Nesta segunda edição, nada foi deixado ao acaso. "Procurámos dar mais espaço às pessoas para que a visita delas se tornasse mais tranquila e mais cómoda", explica Ricardo Ribeiro, administrador da Óbidos Patrimonium, empresa municipal para os eventos. Mantém-se a pista de gelo, mas foi criada uma rampa e uma pista de esqui, já no exterior das muralhas. Quem gosta de neve, pode também tentar não se perder no labirinto dos iglôs. Tudo isto num cenário com pinguins, bonecos de neve, ursos polares, focas e pinheiros naturais.
Como vive o Pai Natal? Como fabrica os brinquedos para oferecer às crianças? Todas as dúvidas que sustentam o imaginário infantil vão ser dissipadas, pois nesta vila não falta a Casa do Pai Natal, com a cama e a mesinha de cabeceira. Noutro espaço, o trono, as crianças vão poder tirar fotografias com ele. E mais à frente, a fábrica de brinquedos.
Divulgados estes segredos, é hora de dar um salto à terra dos duendes, onde a música e a animação serão uma constante. Aqui, as crianças são convidadas a ir à discoteca, à loja das lambretas ou até ao cabeleireiro. Para descansar um pouco, que tal escrever uma carta ao Pai Natal? Na aldeia não falta o carteiro, cuja missão é entregar todos os pedidos dos meninos. Mesmo ao lado, a viagem do expresso do Pólo Norte está retratada em miniatura.
"Procurámos recriar um verdadeiro mundo mágico, um espaço que habitualmente existe apenas na nossa imaginação", refere Ricardo Ribeiro, mostrando-se bastante optimista quanto ao resultado da iniciativa.
Espera-se que visitem a vila 150 mil pessoas, apesar do evento ser ao ar livre e depender das condições climatéricas.´
Espírito natalício - 150 mil visitantes (a 4€ em média)!!!!

5 comentários:

Anónimo disse...

bem com esta temperatura a neve ainda derrete e aquilo é que vai ser meter água!

Anónimo disse...

pois que se encham os cofres!|Já agora espero que apresentem contas.

Anónimo disse...

Pois meus amigos...passei por lá e gostei...
Gostei sobretudo do rosto sorridente das crianças, para quem o evento é certamente feito em primeiro lugar...
Claro que é preciso da parte dos adultos alguma paciencia para por exemplo esperar para comprar bilhetes ou entrar nos locais...mas o que não faz um pai ou um avô pela felicidade dos filhos ou netos...???
Compensa o sacrificio..ver tanta criança feliz...

Maximino

Um católico praticante disse...

Felizes mas enganadas. Será isto que devemos ensinar aos nossos filhos e/ou netos.
Então o espírito de Natal é isto, festa e festa pagã?
Mas onde é que o Sr. Diácono tem o seu espírito cristão?
Não vê que isto é um apelo ao consumismo e não ao espírito de partilha, ao espírito natalício?
QUE O MENINO JESUS LHE VALHA.

Anónimo disse...

Então amigo católico praticante (já agora se puder..e quiser, há-de explicar-me isso de católico praticante...!!!)
Diga-me lá por favor, onde é que eu fiz a apologia do natal pagão...???

Isto é um apelo ao consumismo...???

Então e em que sociedade vive o amigo...???

Já viu alguma coisa nesta Sociedade de consumo que não seja um apelo a isso mesmo...???
E o que tem isso a ver com o meu espírito de cristão...???

Só disse uma coisa que eu aproveito e estendo ao meu amigo...

Que o Menino Jesus...nos valha a ambos...!!!

Maximino