quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Janeiro 2004 - Volvidos 4 anos

O mundo dá voltas, mas a política dá muitas mais…
Mas os políticos dão voltas para na mínima volta voltarem de volta à política, para (mais volta menos volta) nos voltarem a dar a volta...
Cronologia:
A recepção (AQUI)
Elogios de um vencido na corrida à CMO (AQUI)
O mais popular (AQUI)
O que interessou ouvir (AQUI)
A destacar (AQUI)
Promoção turística (AQUI)
A grande volta (AQUI)
Sem volta a dar (AQUI)
Para reflectir: quem saiu da volta e quem nunca chegou a entrar na volta.
(Declaração de interesses: relato de um acontecimento de uma reunião de Conselho de Ministros em Janeiro de 2004, se o actual governo, ou outro qualquer vier a realizar em Óbidos um Conselho de Ministros terá o mesmo tratamento)

7 comentários:

Anónimo disse...

É interessante analisar certos politicos profissionais (incluindo todos os partidos). No espaço de 4 anos as voltas que eles levaram... Durão- europeu; Marques Mendes - tacho numa empresa; Carmona - vereador (com problemas com a justiça);Bagão Félix tentou o BCP; Paulo Portas depois de umas férias estratégicas... regressou lá anda pelo parlamento. Pelo parlamento também anda o sec. de estado da imigração da altura e também por Óbidos e finalmente a jovem promessa ficou por Óbidos...

Anónimo disse...

A candidatura de Óbidos a Património da Humanidade, alguém me poderá informar em que situação se encontra essa pretensão? Obrigado

Anónimo disse...

Pergunta ao Telmo que ele sabe, só que não te responde. Isso foi tudo uma tanga para dar dineiro a uns quantos. Olha Marvão, há que anos que meteu a candidatura e nunca foi aprovada.

Josepha disse...

Óbidos ficou de fora na lista indicativa elaborada pelo Iccomos, dos sítios que poderiam apresentar candidatura a Património Mundial. No entanto o estado português poderá sempre apresenta-la.
A recuperação dos anos 40 dos Monumentos Nacionais, a intervenção na Cerca do Castelo, mais recentemente, as casas da Rua D.João de Ornelas e os novos projectos desta autarquia, impediram que Óbidos fosse um dos sítios que constaram nessa lista indicativa.
No caso de Marvão, para além da maior parte das intervenções no interior da Vila serem muito más, já desde os anos 40, a candidatura foi tão mal feita que nem sequer chegou a ser lida na Unesco.Imagine-se que começava com este lindo parágrafo-"Marvão, só tem comparação no mundo com o monte Saint Michel" . depois disto, já não vale a pena ler mais.
O título de Património Mundial é atribuído aos sítios que pelas suas características monumentais e autenticidade cultural,são únicos e necessitem de enorme protecção.
Ora Óbidos é único no coração de cada um de nós, mas de autentico, genuíno infelizmente, não terá o suficiente para tal título.
Custará uma fortuna elaborar a candidatura e duvido que no estado em que está, alguma vez a consiga. Mas também não é assim tão importante parece, se fosse não acontecia o que tem vindo a acontecer.

Mário disse...

O Telmo vai deixar cair aos poucos a ideia da candidatura a Patromónio Mundial.
Vai reforçar a sua propaganda com o Festival do Chocolate que passa a ser próximo do Carnaval e começa no Dia dos Namorados.
Pouco importa o que promeu no passado. O que acha importante é agitar uma forte propaganda.

Anónimo disse...

Não sou perita no assunto, mas permita-me comentar alguns aspectos referidos pela Josepha. A ICCOMOS é uma ONG que possui um papel consultivo e auxilia o World Heritage center a avaliar as candidaturas a Património Mundial. Pode referir exemplos de locais para se candidatarem, mas quando o faz, por norma é porque existe risco ou pelo achado ser de "outstanding interest".
A Unesco não aceita nenhuma "Temptative" que não seja submetida por um State Party, que no nosso caso é a Comissão nacional da UNESCO em Portugal, que julgo estar ligada a uma das nossas faculdades de arquitectura.
Ora, não existe nem nunca existiu nenhuma tentativa de submissão de Óbidos a património mundial segundo o site da UNESCO, como podemos ver aqui:
http://whc.unesco.org/en/tentativelists/1983/
Logo das duas três, ou não há submissão, ou a comissão da UNESCO em Portugal não submeteu o processo, ou então o site está desactualizado(muito pouco provável).
Do que eu vi os processos (no mesmo site), estes são extensíssimos e são extremamente técnicos e detalhados.
Já vi alguns processos dos que ganharam, e imprecisões técnicas como as referidas pela josepha, existem em muitos deles. E estas são depois avaliadas pela ICCOMOS no seu parecer de avaliação. Ora não é por haver uma ou muitas imprecisões que indeferiram as "temptatives". Por outro lado algumas das submisões já foram chumbadas em anos anteriores, e depois foram resubmetidas e "remodeladas" com alterações e foram aceites. Estamos a falar de avaliações muito precisas e extremamente fundamentadas. No site referem mesmo que a avaliação do processo pode ir de 5 a 10 anos. Mas em primeiro lugar é necessário haver uma submissão. No que diz respeito às alterações, alguns dos nomeados possuem alterações ao património original desde que validem a candidatura e os critérios reclamados.
Como curiosidade, recomendaria a Josepha a ler os processos de Corcu e de Évora. Por outro espreitaria as tentativas indeferidas de Espanha e França. Concordo com alguns dos post que referem que de facto a candidatura foi uma bandeira eleitoral, pois pode ter arrancado com boas intenções, e houve depois algum cuidado em se querer criar algum "Think Tank", mas a boa intenção logo se desvaneceu como promessa. Criaram-se empresas e eventos para a promover, mas os eventos finaram e as empresas foram enquarteladas por mão de obra, diria, pouco classificada para o efeito (basta olharmos o processo do Douro vinhateiro, para ver do que estou a falar). Pior, aproveitaram os trâmites rigorosos que se exige num processo destes e expandiram para além daquilo que é aclamado. Neste momento, a julgar, todo o concelho é candidato a património mundial. Alguém sabe por acaso em que consiste o património que se quer levar à candidatura, e a "buffer area" correspondente? Alguém sabe os critérios a candidatar? Enfim, há muito a esclarecer.

Mas refiro, sou uma mera leiga.

Anónimo disse...

Correcção:
O site das "tentative list" à Pat. Mundial da Unesco é este:

http://whc.unesco.org/en/tentativelists/state=pt